quarta-feira, 27 de julho de 2011

Estresse da mãe afeta o bebê na barriga


Você sabia que o estresse de uma mãe pode afetar seu bebê ainda no útero, produzindo efeitos a longo prazo na vida da criança? Uma equipe da Universidade de Kontanz, na Alemanha, observou que houve alterações biológicas em um receptor de hormônios associados ao estresse em fetos cujas mães estavam sob tensão intensa. As conclusões são baseadas em um estudo limitado feito com apenas 25 mulheres e seus filhos - hoje com idades entre 10 e 19 anos -, foram publicadas na revista científica Translational Psychiatry.
Os pesquisadores fazem algumas ressalvas: eles explicam que as circunstâncias das mulheres que participaram desse estudo eram excepcionais, e que a maioria das mulheres grávidas não seria exposta a graus tão altos de estresse durante um período tão longo. A equipe enfatiza também que os resultados não são conclusivos, e que muitos outros fatores, entre eles o ambiente social em que a criança cresceu, podem ter desempenhado um papel nos resultados.
Durante a gravidez, as mães participantes viveram sob ameaça constante de violência por parte de seus maridos ou parceiros. A equipe acompanhou essas famílias, e aproximadamente, dez ou vinte anos mais tarde, avaliou os já adolescentes, constatando que alguns deles apresentavam alterações em um gene em particular - o receptor de glucocorticoide (GR) - responsável por regular a resposta hormonal do organismo ao estresse. A alteração identificada parece tornar o indivíduo mais sensível ao estresse, fazendo com que ele reaja à emoção mais rapidamente, dos pontos de vista mental e hormonal.

Um dos líderes da equipe da Universidade de Kontanz, Thomas Elbert, disse: "Nos parece que bebês que recebem de suas mães sinais de que estão nascendo em um mundo perigoso respondem mais rápido (ao estresse). Eles têm um limite mais baixo de tolerância ao estresse e parecem ser mais sensíveis a ele".
Comentando o estudo, o médico Carmine Pariante, especialista em psicologia do estresse do Instituto de Psiquiatria do King's College London, disse que o ambiente social da mãe é de extrema importância para o desenvolvimento do bebê. Segundo ele, durante a gravidez, o bebê é sensível a esse ambiente de uma forma única, "muito mais, por exemplo, do que após o nascimento. Como temos dito, lidar com o estresse da mãe e com a depressão durante a gravidez é uma estratégia importante, clínica e socialmente".

9 comentários:

  1. Eu fui uma grávida bem "zen" ,calma,feliz,realizada...e todos dizem que isso deve ter ajudado pra Helena ser tão calminha,carinhosa e feliz!!!!!
    Claro que ela tem os dias "monstrinhos" dela ,assim como eu!!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Ah, eu tive um pouco de estresse no trabalho!
    Mas o Antonio é super calmo, graças a Deus!
    Bom dia!
    Bjão

    ResponderExcluir
  3. Eu percebo que quando estou extressada o João fica pulando mais no barrigão, mas meu extresse é hormonal, tem dias que acordo que eu mesmo não me aguento..kkkkkkkk...beijocas minha e do João

    ResponderExcluir
  4. Eu passei a gravidez muito tranquila e isso reflete no Miguel, ele apesar de bem ativo é tranquilo, acho que quando estamos grávidas temos que tentar nos preservar ao máximo de stress...as vezes é difícil, mas...

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Na minha gravidez minha mãe estava muito doente, veio a falecer quando a minha filha tinha 2 meses, mas graças a Deus que apezar de toda a tristeza e estress, minha filha veio bem tranquila.

    Aproveitando gostaria de dizer que vim conhecer o seu blog e agradecer a sua visita no meu. Demorei um pouquinho pra vir porque andei tirando umas pequenas férias da internet...rsrs. Aproveitei que a minha filha estava de férias na escola pra passear com ela.

    Beijos e uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  6. Influencia mesmo... quando estou relaxada minha baby fica super contente e feliz no barrigão (pula muito) e quando estou cansada e tensa ela nem se mexe.
    ótimo post! parabéns!
    bjocas

    ResponderExcluir
  7. Já vi alguns artigos dizendo que a alimentação da grávida influencia até os gostos que a criança vai ter epois que nasce, e também a saúde, devia-se informar melhor as mulheres que pré-natal não siginifica só fazer exames e acompanhamento médico, é também cuidar muito do feto para que nasça saudável,
    bjs

    ResponderExcluir
  8. Oie!!Amiga tá tudo bem??? Faz tempo que não conversamos.
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Olá, adorei seu blog,já estou te seguido, espero que tambem
    blog.http://bebebrincalhao.blogspot.com/2011_08_21_archive.html
    beijos :*

    ResponderExcluir